10 de novembro de 2011

eu preciso... ?!?

por ..bee.. às 09:49
Tenho pensado, sonhado, sentido, vivido... Bastante! Tenho relido meus posts, revivido as angústias, me perdido nas memórias... De tudo, ficou uma grande confusão! E talvez esse post seja confuso também, mas preciso escrever minhas confusões na esperança de que as coisas se ordenem dentro de mim.

Ficou a sensação de perda. De ter encontrado a pessoa que finalmente me fez querer aquilo tudo de novo, sem nem lembrar da parte ruim, e.. Eu não ser essa pessoa para ele. O Empresário, como uma amiga sugeriu para apelido dele aqui, é aquela pessoa que trazia o melhor de mim. (miniflashback) E depois de eu ter "colocado um ponto final" (devolver o casaco dele que ainda estava comigo, pendurado do lado da minha cama) a imagem dele voltou a me pertubar esta madrugada em um sonho. A dream is a wish your heart makes. É, acho que faltou encerramento, sabe? Faltou conversar, faltou dizer como eu me sentia, faltou.. eu explodir. E no sonho, isso acontecia de certa maneira: ele dizia que tinha sido imprudente comigo e reconhecia que se arrendia. Não que eu espere que isso aconteça (ou talvez até espere, pelo pouco que eu conheci dele), mas queria.. hmm.. A preocupação de volta. Uma vez, estávamos conversando, e ele disse que se preocupava comigo, que não queria me magoar... Mas eu aposto que ele não estava pensando nisso quando me beijou. Aposto que não pensou nisso depois, quando eu estava em frangalhos e ele feliz e contente com a namorada. Dói ser a pessoa que faz alguém perceber que o que realmente quer não é ficar com você. Dói saber que a preocupação era superficial, passageira. Que todo aquele papo de que eu sou "especial" era balela. - Dizer que você é especial é fácil. Se um homem acha mesmo que você é especial, ele te mostra isso nas atitudes dele. - um conhecido (meu e dele) me disse em uma mesa de bar. O Empresário ter voltado me fez perceber que essa história ainda é um "unfinished business" pra mim..

Mudando para assuntos resolvidos, mas que ainda assim mexeram comigo.. O Rato vai ser pai. (De verdade dessa vez.) Tanto ele atentou a cegonha que olha aí: ela está trazendo uma encomenda para ele. Fiquei chocada quando soube, confesso. Talvez porque da última vez que conversamos, ele disse que ainda me amava. E por mais que quando ele disse isso eu tenha tido a certeza de que não o amava mais, ficou também uma sensação de perda. Perdi o Rato e o Ator. O "namorado" e o amigo. Minha primeira reação foi reacionária: ele não terminou a fauldade, ela mal começou a faculdade, ele tem 23 anos na cara, ela tem 18.. Um filho?! Irresposabilidade. Se fosse comigo, eu estaria surtando!! Mas eles estão felizes, então.. Só me resta desejar a eles, de todo o meu coração, toda felicidade do mundo. Que essa nova vida que se fez traga muita luz, paz e alegrias.

Talvez o problema seja esse. Eu passei tanto tempo com múltiplos focos, que é difícil me desacostumar com isso. Voltei com o meu casinho. E sinceramente, gosto de como as coisas estão no momento. Gosto de sentir falta dele e de ter ele por perto aquecendo meus pés quando dormimos. Decidimos que estamos em processo e que talvez chegaremos a algum lugar, talvez não, mas estamos dispostos a descobrir.. Levando o tempo que levar. Sem pressão. E é aí que eu me pergunto: "qual é o meu problema?!?" Conheço mil garotas que gostariam de ter um cara como ele como namorado: que sempre esteve por perto, que conhece seu melhor e seu pior, que te entende com um olhar, que é carinhoso e que se importa com você. Que vai na sua casa tarde da noite cozinhar e levar remédio porque você está gripada! E isso faz com que eu pense que eu sou insesível. Não que eu não tenha agradecido ou ficado comovida com as atitudes dele, mas por que eu não largo todas essas minhas experiências ruins e fico com ele? Por que ele não é o cara que faz com que eu queira estar com ele e SÓ com ele? Numa conversa com as minhas amigas, elas me disseram que paixão é uma coisa explosiva e que amor se constrói com o tempo. Mas para mim, o amor vem da paixão... E paixão é aquela coisa inexplicável, instantânea, que acontece e ponto. Então, talvez seja isso. Eu estou me prendendo a uma paixão (ou falta dela) quando na verdade algo maior está sendo construído...

É. Sou uma confusão ambulante. Preciso me encontrar: essa é a minha única certeza.

1 gritos de felicidade:

Ivan on sexta-feira, 11 novembro, 2011 disse...

Nossa, a narrativa é uma delícia, até pq todos passamos por situações assim, gosto de ler e me identificar com um texto. Boa sorte! Vai ser feliz!!!

 

beah.volgari Copyright © 2012 Design by Giulia Azevedo Vintage Mustache