26 de janeiro de 2013

onde está você agora?

por ..bee.. às 17:09
O ano começou e junto com ele uma onda de reflexão involuntária sobre a vida. A minha vida. As minhas escolhas, os meus caminhos, as minhas vontades... Eu estou hoje onde eu achei que estaria quando tivesse 25 anos? Eu sou quem eu sempre quis ser? E quanto mais eu pensava sobre mim, mas eu percebia que era um sentimento geral das pessoas que estão ao meu redor, de 20 e poucos (ou 20 e muitos no meu caso) anos. Existe um vazio, um descontentamento, uma falta de vontade e ainda uma sensação de que já se viveu de tudo, já se fez de tudo.. De que sempre saímos para os mesmos lugares e conhecemos as mesmas pessoas.. De que estamos nos repetindo, cometendo os mesmos erros de novo e de novo e de novo, mas ainda assim achando que eles são novos.

Eu estou me repetindo desde que eu tinha 13 anos de idade. Eu sou a mesma garotinha, só com mais responsabilidades agora. Mas eu continuo me apaixonando pelo mesmo cara, toda vez. O mesmo galanteador, a mesma voz macia.. a mesma mania de se estar certo o tempo inteiro. O mesmo tipo, a mesma personalidade, mas em corpos diferentes, em situações outras. E constatar isso foi um momento de brainstorm, ilhada em um bar por conta dessas chuvas/temporais no Rio de Janeiro. E foi estranho. Foi uma grande revelação e ainda assim, era uma coisa óbvia, que estava ali o tempo inteiro e eu só não queria ver.

E desta vez eu tive uma reação diferente das que eu costumo ter: nada de crise. Nada de choro compulsivo, de questionamentos infindáveis sobre o que eu estou fazendo da minha vida, nada de crise. Sim, eu estou me repetindo e gostaria muito de entender o motivo de isso acontecer, mas não é algo para eu me desesperar. "Me repetir faz parte de eu ser quem eu sou", me veio a mente, "como eu escolho encarar isso, aí sim, eu vou entender o quanto eu cresci ou não". E está sendo bom para mim: aceitar os meus erros, os meus vícios de vivência, as minhas manias.. E viver assim com eles, tendo certeza que eles fazem eu ser mais eu mesma cada vez. Parece estranho?

Um exemplo bobo: tinha pintado meu cabelo de loiro. Resolvi que queria ser loira em um momento de tédio e pronto. Comprei a tinta na farmácia, apliquei e é isso: virei uma loira de caixinha. Foram três meses. Três meses de loirice, aguentando as piadas, o horror da família, a cara feia do namorado.. Mas eu estava me divertindo. E então ontem a noite, o mesmo "raio" me atingiu com uma força aterrorizante: essa não sou eu! E eu quis gritar: Socorroo!!! Me tirem daqui!! E com a mesma impulsividade e simplicidade que eu virei loira, voltei a ser morena. E pronto: lá estava eu. E como é bom esse reencontro consigo mesma! Só me fez perceber uma coisa: às vezes se perder faz parte da jornada para se encontrar.

1 gritos de felicidade:

Dama de Cinzas on domingo, 27 janeiro, 2013 disse...

Sinto te informar que essas sensação de se repetir está presente em todas as pessoas que pensa a vida, que se questionam, esteja ela com 20, 30, 40, 50, 60 anos. E acho que essa sensação só piora quando vamos ficando cada vez mais velhos.

Eu tenho a nítida impressão que andei em círculo a minha vida inteira, mesmo que eu tenha mudado muito e mudei, mas parece que o que realmente queria que mudasse ficou igual o tempo todo...

Beijocas

 

beah.volgari Copyright © 2012 Design by Giulia Azevedo Vintage Mustache