28 de março de 2011

a vida é uma espiral, afinal...

por ..bee.. às 21:07
Uma vez, para um trabalho de música na faculdade, eu desenhei uma espiral. A intenção do professor era mostrar como é difícil traduzir uma forma de arte em outra. Como passar para palavras uma pintura? Como passar para um desenho uma música? Como traduzir a maneira que aquilo te toca, te envolve, te emociona?

A música que eu escolhi foi Insensatez, do Tom Jobim. E depois de ouvir incessantemente a mesma música, percebi que ela me passava uma sensação de retorno, de voltar-de para si mesmo, mas ainda assim ir adiante de alguma maneira. Não desenhei um círculo porque ele não tem fim nem começo, logo, não retorna a lugar algum... Nem mesmo sai do lugar. Um círculo é amarrado, fechado. Preso. Uma espiral não. A espiral tem a ilusão de liberdade. Ela vai mais volta. E volta porque quer. E quando volta já não é mais a mesma, e então ela vai de novo. Num ciclo sem fim.

Ultimamente tenho pensado muito a minha vida como a espiral, um eterno retorno. Por mais que eu tente quebrar padrões, algumas coisas sempre voltam. Valores, pessoas, cheiros, gostos... Voltam para me lembrar as minhas dores que eu queria esquecer, mas mais ainda pra me mostrar que eu sou forte, que já passei por isso antes e sobrevivi, mesmo achando que não conseguiria.

É um retorno a si mesmo mas com experiência... Não se deixa a bagagem para trás ou as lições que se aprendeu. É mais interessante, é o que os sábios fazem para não enlouquecer... É a lembrança e o empurrão para seguir em frente. É a certeza de que aconteceu, que marcou, e por isso mesmo a lembrança ficou.


1 gritos de felicidade:

on terça-feira, 29 março, 2011 disse...

Eita que lugar lindo. Que post lindo... Inspiração total hein moça?
Continue assim, nos bndando com lindas palavras. Beijocas

 

beah.volgari Copyright © 2012 Design by Giulia Azevedo Vintage Mustache